ESCOLA E.B. 2,3 PROF. ANTÓNIO PEREIRA COUTINHO

23
Abr 08
 


http://www.youtube.com/watch?v=xyN1A2IOtbA
( abrir em nova janela e minimizar para ouvir a música e continuar na mesma pégin)

Amigos,

Visitem o blog "25 de Abril" na página da Antena 1 (RDP). Vale a pena.
Aqui fica a ligação:

http://ww1.rtp.pt/icmblogs/rtp/25-abril/index.php

 

Fotos, poesia, cinema, canções, histórias, vivências, opiniões.


Vejam este outro vídeo que constitui um documento emocionante: a rendição do quartel do Carmo, na tarde do  dia 25 de Abril.

http://www.youtube.com/watch?v=ti8AsJZdbDU


Maria F.

publicado por CREM Pereira Coutinho às 20:08
música: Trova do vento que passa de Adriano Correia de Oliveira
sinto-me:


CERVANTES e SHAKESPEARE morreram a 23 de Abril de 1616,  por essa razão a Unesco, em 1996,  decidiu escolher este dia para  celebrar, a nível mundial, "O LIVRO e OS  DIREITOS  DE  AUTOR".






WILLIAM SHAKESPEARE (
Inglaterra, 1564- 1616) : Como dramaturgo, escreveu não só algumas das mais marcantes tragédias da cultura ocidental ( ex:"Romeu e Julieta"), mas também algumas comédias. Escreveu, além disso, 154 sonetos.











MIGUEL DE CERVANTES ( Espanha, 1547-1616 ) : Pode considerar-se que o romance surge no início do século XVII com a obra deste autor, " Dom Quixote de La Mancha ", publicada em 1605.








mas... nem tudo são rosas...

Vejam o vídeo sobre a leitura e os Portugueses e reflitam um pouco...

http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?headline=98&visual=25&article=341641&tema=32

É pena, mas é verdade:

O nível de iliteracia em Portugal é dos mais altos da União Europeia.

Milhares de portugueses não sabem ler e outros tantos nunca leram um livro.

Contamos convosco, queridos alunos, para que, daqui por poucos anos, o nosso País seja um país de leitores. Invertam esta triste classificação!
Descubram a leitura, o prazer dos livros, frequentem as bibliotecas! Podem começar pela da vossa escola que é bem agradável. Não acham?
































Saramago pede mais consideração pela Língua Portuguesa.
« A Língua mais bonita do Mundo é o Português.» - diz o escritor.

O Prémio Nobel da Literatura visitou a exposição da sua vida e obra no Palácio da Ajuda, em Lisboa.


Ouçam e vejam:
http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=341560&headline=98&visual=25&tema=32



Maria F.

publicado por CREM Pereira Coutinho às 17:45
sinto-me:

22
Abr 08

http://www.youtube.com/watch?v=X4tsbDzv3yo

Erik Satie -Gymnopédie No.1 [piano] ♫

 ( abrir em nova janela e minimizar para ouvir a música e continuar na mesma pégina)


« No Dia Mundial da Terra, que se comemora hoje, a humanidade é confrontada com vários alertas. Um dos mais importantes tem a ver com o envio de dióxido de carbono para a atmosfera que está a provocar um aumento da temperatura em todo o mundo. »

  «As notícias sobre o planeta não são as melhores no dia em que se comemora o Dia Mundial da Terra. A temperatura em todo o mundo está a aumentar graças ao dióxido de carbono que os homens enviam todos os dias para a atmosfera.

O alerta chega da comunidade científica que é bem clara ao afirmar que este aumento de temperatura irá provocar até ao ano de 2050 a extinção de milhares de espécies animais. »

«Mas há mais avisos e todos eles preocupantes. As águas dos oceanos vão subir e provocar grandes inundações em diversos pontos do planeta e daí que muitas das cidades que se encontram em zonas costeiras sejam alvo de risco sério de destruição.

Outro dos alertas que surge neste Dia Mundial da Terra tem a ver com as doenças tropicais que devem aumentar em larga escala e dar origem a um surto de epidemias, mesmo em regiões onde este tipo de doenças já foi erradicado.

Por cá a associação ambientalista Quercus também assinala o Dia Mundial da Terra com alertas para as consequências das alterações climáticas no litoral e inicia a campanha ECOTOUR 2007.

Entre as várias actividades previstas o destaque vai para a que está relacionada com a colocação junto à Ponte D. Luís, no Cais da Ribeira, no Porto, de uma régua gigante com 7 metros de altura por 2 metros de largura com a marcação dos cenários de subida do nível do mar previstos pelos cientistas portugueses e mundiais para as próximas décadas como consequência das alterações climáticas.» 
 

«Como forma de alerta e sensibilização serão igualmente distribuídos pequenos moinhos de vento com dicas de como poderá cada cidadão contribuir para combater o aquecimento global.»


 

RTP
2008-04-22 10:45:33

 



Será que vamos deixar morrer todas as maravilhas da Natureza?

 


 


 



 Nada poderemos fazer?

 


 

 


 


 


 


 


 











Aqui ficam algumas ideias...
             

















«O GREEN CORK é um Programa de Reciclagem de Rolhas de Cortiça desenvolvido pela Quercus, em parceria com a Corticeira Amorim, a Modelo/Continente e a Biological. Tem como objectivo não só a transformação das rolhas usadas noutros produtos, mas, também, com o seu esforço de reciclagem, permitir o financiamento de parte do Programa “CRIAR BOSQUES, CONSERVAR A BIODIVERSIDADE”, que utilizará exclusivamente árvores que constituem a nossa floresta autóctone, entre os quais o Sobreiro, Quercus suber.

O projecto foi construído tendo por base a utilização de circuitos de distribuição já existentes, o que permite obtermos um sistema de recolha sem custos adicionais, que possibilita que todas as verbas sejam destinadas à plantação de árvores. Tudo isto sem aumentar as emissões de CO2!

As rolhas de cortiça recicladas nunca são utilizadas para produzir novas rolhas, mas têm muitas outras aplicações, que vão desde a indústria automóvel, à construção civil ou aeroespacial.

A internacionalização do projecto está já a ser negociada. Em breve, as rolhas usadas de outros países europeus começarão a ser recicladas em Portugal, dentro de um esquema montado a partir daqui, resultando num contributo adicional para o esforço de reflorestações e conservação de florestas autóctones portuguesas. Este exemplo único de exploração de uma floresta autóctone, que conseguiu ao longo dos tempos conciliar criação de riqueza, serviço ambiental e impacto social positivo, irá agora completar este ciclo, renovando a própria floresta que esteve na sua origem.»

http://earth-condominium.com/port/green.html

 " A Terra está nas nossas mãos"
«Temos de arranjar formas humanas de habitar o Planeta»

http://www.quercus.pt/scid/webquercus/defaultArticleViewOne.asp?categoryID=596&art
icleID=1417












     


Maria F.
      

publicado por CREM Pereira Coutinho às 18:15
sinto-me:

20
Abr 08


  O 25  DE ABRIL de SOPHIA  DE MELLO BREYNER ANDRESEN:

«Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo.»


 

Na próxima sexta-feira vamos mais uma vez festejar o Dia 25 de Abril de 1974.
 Os cravos vermelhos são o seu símbolo. Simbolizam a Liberdade, a Democracia, e o Sonho de um País mais Fraterno.
  « Não podemos ignorar »...*** por essa razão, aqui fica um pouco de História.

O 25 DE ABRIL E A CONSOLIDAÇÃO DA DEMOCRACIA PORTUGUESA


A Primavera Marcelista

Salazar foi afastado do poder em 1968, tendo sido substituído pelo Professor Marcelo Caetano. Nos primeiros tempos do seu governo, houve algumas tentativas de aplicar reformas que poderiam vir a mudar o regime.

No entanto, este período inicial, que ficou conhecido como «Primavera Marcelista», não durou muito tempo, regressando a repressão e a falta da liberdade. O descontentamento entre a população era cada vez maior. E porquê?

- A guerra colonial continuava sem solução à vista, o que era um verdadeiro escândalo, a nível nacional e internacional. - Não havia liberdade. As forças da oposição não puderam fiscalizar* o acto eleitoral de 1969 (eleição dos deputados à Assembleia Nacional); o voto continuou a não ser alargado a toda a população. Apesar disso, foram eleitos alguns independentes, nas listas da União Nacional, que defendiam as liberdades fundamentais e o fim da violência da polícia política - constituíam a chamada «ala liberal».

 


A Revolução de Abril
Preparando a Revolução

Entre os militares, crescia o descontentamento em relação ao regime de Marcelo Caetano. A guerra colonial prolongava-se e, nas Forças Armadas, começava a tomar forma um movimento que pretendia apresentar soluções para acabar com a guerra. Um grupo de oficiais formou, em 1973, o Movimento das Forças Armadas (M.F. A.), que, no maior segredo, começou a preparar um golpe de estado. Estes oficiais eram bastante jovens e, por isso, o M.F.A. começou por ser conhecido como «Movimento dos Capitães».



O Dia da Liberdade

No dia 24 de Abril de 1974, cerca das 23h, os Emissores Associados de Lisboa transmitiram a canção «E Depois do Adeus», cantada por Paulo de Carvalho; foi o sinal combinado para o início da operação militar. Mais tarde, já na madrugada do dia 25 de Abril, a Rádio Renascença transmitia «Grândola, Vila Morena», de José Afonso; estava confirmado o desencadear* da revolução que iria pôr fim a 48 anos de ditadura ( no final deste texto,  são apresentadas as letras destas canções-senhas do 25 de Abril).

O capitão Fernando Salgueiro Maia, partindo de Santarém à frente de uma coluna de tanques, entrou em Lisboa e tomou a Praça do Comércio; no Largo do Carmo, conseguiu a rendição* de Marcelo Caetano, refugiado no quartel da G.N.R.

 

E o povo saiu à rua



  Uma das preocupações do M.F.A., no dia 25 de Abril de 1974, era manter a população informada do que estava a acontecer. Por isso, foi importante ocupar as estações de rádio e, também, os estúdios da R.T.P, a única estação televisiva, nessa época. Durante todo o dia, a televisão e as rádios transmitiram comunicados do M.F.A. e marchas militares. Também os jornais deram notícia do que estava a acontecer.

  Alguns dias depois, no dia 1 de Maio de 1974, a população portuguesa saiu à rua para participar na grande festa da liberdade. Comemorava-se o Dia do Trabalhador. Nessa data, ouviram-se palavras de ordem como: «O povo está com o M.F.A.» ou «O povo unido jamais será vencido».

  Em Portugal, durante o Estado Novo, foram proibidos os desfiles de trabalhadores no 1.º de Maio. Desde 1974, é feriado nacional.


  As mudanças da Revolução Derrubado o regime do Estado Novo, tornava-se necessário e urgente assegurar a ordem e o governo do país. Formou-se, na noite de 25 para 26 de Abril de 1974, uma Junta de Salvação Nacional, presidida pelo então general António de Spínola; este deu a conhecer o programa do M.F. A. e os objectivos da revolução. A 15 de Maio foi nomeado o 1.º Governo Provisório.


 

 

  A Junta de Salvação Nacional era composta por sete elementos. Nesta fotografia podemos ver, da esquerda para a direita: os almirantes Rosa Coutinho e Pinheiro de Azevedo, e os generais Costa Gomes, António de Spínola, Jaime Silvério Marques e Galvão de Melo. O general Diogo Neto, também membro da Junta, encontrava-se, na altura, em Moçambique.

  O programa do M.F.A. tinha três objectivos fundamentais: Descolonizar, Democratizar e Desenvolver. O fim da guerra colonial tinha estado na origem do Movimento e era, por esse motivo, uma das questões mais importantes. Para além disso, era fundamental restabelecer a liberdade e assegurar as bases de um novo regime que ajudasse ao desenvolvimento da sociedade portuguesa.



 


A descolonização

Países que nascem

  Logo após a Revolução do dia 25 de Abril, a questão colonial voltou a estar na ordem do dia. De um modo geral, a população exigia o fim da guerra e o «regresso dos soldados».

Também o governo português considerava necessária a descolonização; Portugal reconhecia o direito à independência das colónias.

  Desta forma, ainda no ano de 1974, começou o processo de descolonização. Este processo obrigou à realização de negociações e resultou no nascimento de cinco novos países africanos.

  A República da Guiné-Bissau foi o primeiro país a tornar-se independente, no dia 10 de Agosto de 1974. Seguiram-se: - República Popular de Moçambique - 25 de Junho de 1975; - República de Cabo Verde - 5 de Julho de 1975; - República Democrática de S. Tomé e Príncipe - 12 de Julho de 1975. - República Popular de Angola - 11 de Novembro de 1975.

Apesar de independentes, estes novos países continuaram a manter relações de amizade com Portugal, conservando o português como língua oficial; por isso são conhecidos como P.A.L.O.P. (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa).


O regresso

  Com a independência das antigas colónias, muitos portugueses que lá residiam e trabalhavam, temendo pelas suas vidas e bens, regressaram a Portugal Continental e Insular (Madeira e Açores). Chamaram-lhes «retornados» embora, na sua maioria, se tratasse de cidadãos já nascidos em África, filhos ou netos de colonos. Em alguns casos, tratava-se mesmo de famílias africanas que mantiveram a nacionalidade portuguesa e escolheram viver em Portugal.

  A vinda de tantas pessoas (entre 500 000 e 700 000) criou problemas graves:

- para a sociedade portuguesa, que tinha dificuldades em integrar um número tão grande de indivíduos; - para os «retornados», que tiveram, em alguns casos, muitas dificuldades para conseguir casa ou emprego. Com o tempo, as dificuldades foram sendo ultrapassadas; algumas pessoas integraram-se na sociedade portuguesa, outras emigraram para outros países, sobretudo para o Brasil.


Duas excepções

  Quando aconteceu o 25 de Abril de 1974, Portugal mantinha, sob a sua administração, dois territórios no Extremo Oriente: Macau e Timor Leste.

Macau continuou sob administração portuguesa até ao dia 19 de Dezembro de 1999, data em que passou a estar integrado na República Popular da China.

  Quanto a Timor Leste, foi invadido por tropas indonésias no dia 7 de Dezembro de 1975. Mais tarde, o território foi considerado, pela Indonésia, a sua 27.a província. O povo timorense lutou, durante 24 anos, pela liberdade e pelo direito de decidir do seu destino. Este foi alcançado através do referendo, realizado no dia 31 de Agosto de 1999; nascia um novo país - Timor Leste.


Emília Maçarico, Helena de Chaby e Manuela Santos
Texto editora


1ª Senha do 25 de Abril de 1974

" E depois do adeus"

 

 

  

                        http://br.youtube.com/watch?v=89LBNSX_vig

                   ( abrir em nova janela e minimizar para ouvir a música e continuar na mesma pégina)                                                           

Quis saber quem sou
O que faço aqui  

Quem me abandonou
De quem me esqueci
Perguntei por mim
Quis saber de nós
Mas o mar
Não me traz
Tua voz.

Em silêncio, amor
Em tristeza e fim
Eu te sinto, em flor
Eu
te sofro, em mim
Eu
te lembro, assim
Partir é morrer
Como amar
É ganhar
E perder

Tu vieste em flor
Eu
te desfolhei
Tu te deste em amor
Eu
nada te dei
Em teu corpo, amor
Eu adormeci
Morri nele
E ao morrer
Renasci

E depois do amor
E depois de nós
O dizer adeus
O ficarmos sós
Teu lugar a mais
Tua ausência em mim
Tua
paz
Que perdi
Minha dor que aprendi
De novo vieste em flor
Te
desfolhei…

E depois do amor
E depois de nós
O adeus
O ficarmos sós.



Paulo de Carvalho,

com letra de José Niza e

música de José Calvário

 
2ª Senha do 25 de Abril de 1974
"Grândola, vila morena"

http://br.youtube.com/watch?v=PBK7bd3UYow

( abrir em nova janela e minimizar para ouvir a música e continuar na mesma pégina)



 

 

“Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade
Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade
Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade”


Letra e Música de José Afonso

 

Cantata de paz ***

Vemos, ouvimos e lemos
Não podemos ignorar
Vemos, ouvimos e lemos
Não podemos ignorar

Vemos, ouvimos e lemos
Relatórios da fome
O caminho da injustiça
A linguagem do terror

A bomba de Hiroshima
Vergonha de nós todos
Reduziu a cinzas
A carne das crianças

D'África e Vietname
Sobe a lamentação
Dos povos destruídos
Dos povos destroçados

Nada pode apagar
O concerto dos gritos
O nosso tempo é                                                            
Pecado organizado.


Sophia de Mello Breyner Andresen

Venham visitar a nossa pequena exposição sobre o 25 de Abril de 1974, que estará patente no CREM até 2 de Maio e tragam os vossos trabalhos.

 



Maria F.

publicado por CREM Pereira Coutinho às 14:11
sinto-me:

15
Abr 08
  

 E
m articulação com o Departamento de Ciências Humanas e Sociais e o Departamento de Educação Artística e Tecnológica ,  decorreram no CREM , de 7 a 11 de Abril,  actividades  relacionadas com o problema do aquecimento global e a preservação do meio ambiente.
  Estas actividades assumiram formas diversas, passando por dramatizações, canções, concertos, apresentação de filmes, sessões de esclarecimento e exposição de trabalhos de alunos.
  Nas dramatizações assistimos a
uma adaptação do texto de José Jorge Letria “Grande Festa em Casa da Natureza” pelos alunos do 6ºD orientados pela professora Teresa Santos;

   Assistimos também a dramatizações levadas a cabo pela turma do 6ºC, coordenada pela mesma professora e do 6ºI, coordenada pelos professores de Área de Projecto, Margarida Machado e José Manuel Santos. Esta turma apresentou o seu texto com fantoches de dedos  e um jornal com notícias relativas ao ambiente. O conteúdo deste trabalho foi muito apreciado pelos presentes.

   No dia 8 de Abril, contando com a presença da Professora Ana do Ó como convidada, o 5ºH fez a apresentação de três textos dramatizados: “A Poluição”, “Poluição Aquática” e “Alerta Vermelho...Planeta em Perigo”. Estas dramatizações foram preparadas em aulas de “Ler”, pela professora Teresa Santos que contou com a colaboração da professora Isabel Azevedo nas aulas de Estudo Acompanhado.

   Quanto a canções também as houve: Fight Pollution trabalhada nas aulas de Inglês com o 6º D e a professora Dalila Dias Marques; três alunas do 6ºG apresentaram um poema, igualmente em Inglês, trabalhado nas aulas da professora Celina Rocha.


  Os alunos convidados do 4º ano da EB1 de Birre 2, acompanhados pela professora Maria do Céu Deus,  apresentarem um “power point” sobre a água. A estas apresentações seguiram-se  dois vídeos: “O Degelo” e “ Aquecimento Global - Causas, Efeitos e Soluções.”

    O dia 9 de Abril foi o dia do mini-concerto do Ambiente:
   
 
 

  O CREM encheu-se com os alunos das turmas dos professores de Educação Musical, Ana Rita Abraão , Manuela Gomes e  Margarida Machado que apresentaram raps da sua autoriasubordinados ao tema do ambiente. Presentearam-nos com algumas peças musicais tocadas em flauta de bisel:

Rio Triste  pelo 6º B e 6º F;

O Vírus Somos Nós  por Estela, Carlos Simões, Bruna Osório, Fagner Errea, Bárbara Machado (Percussão), alunos do 7ºA;

Não à Poluição, Sim à Vida (letra da autoria da turma 7.º B), voz de João Queirós;

Rap da Natureza (letra da autoria da turma 7.º C), André Oliveira, Diogo Rodrigues e Duncan Schuurman (Voz);

Gosto do meu Bairro e História dos três r´s pelos alunos do 5.º A (voz);

Canguru PugilistaO coro das Abelhas pelos alunos do 6ºB (flauta e voz).

  Transcrevemos o  Rap da Natureza da autoria do 7º C:


Natureza porque sofres ?

Porque estás a morrer ?

Porque é que a poluição

Te está a desfazer?

 

Chuva ácida, Tsunamis

Aquecimento Global

Estão a levar a Terra

À destruição Total

 

Não me leves a mal

Não faço isto por querer

Tenho que te salvar

Do mal que te estou a fazer

 

Na-Tu-Re-Za

Vais desculpar

Vamos mudar o futuro

E o Ambiente melhorar

 

Qual será a solução?

Acabar com a poluição?

Começar a reciclar

Aquilo que a Terra tem para dar

 

Temos que te respeitar

Não tens que te vingar

Com Sismos e vulcões

Com cheias, secas e trovões

 

  O dia 10 à tarde, foi dedicado aos alunos dos jardins de infância da Torre e Cobre.

 Esta sessão constou da apresentação das questões que mais preocupam a Humanidade no que diz respeito à saúde do Planeta e na exploração de um filme de animação sobre o mesmo assunto.


 



 


 

  A apresentação foi feita por uma ex-aluna da escola, Beatriz Manteigas, que, disfarçada de canguru, levou os mais pequenos a descobrirem os efeitos da poluição ambiental.

 

  Através de uma animada exposição com recurso a desenhos e a objectos do quotidiano, foi fácil prender a atenção de um público tão pequenino. De realçar a forma como estes foram capazes de tirar conclusões sobre todas as questões que iam sendo colocadas, revelando já uma sensibilização muito grande relativamente ao tema.

Parabéns às famílias e à sua Educadora  Manuela Clara.

Depois, os alunos do 5ºH apresentaram um teatrinho de fantoches, trabalho este que prendeu também a atenção dos mais pequeninos e que já havia sido apresentado na manhã do  dia 8.

 



 Como os alunos do Jardim de Infância da  Torre não compareceram devido às condições atmosféricas, os alunos do 5ºG foram convidados a assistir a toda a programação com a sua Directora de Turma. Estiveram interessados  e colaboraram positivamente nas actividades.

 Estiveram presentes seis professores, uma educadora, três monitoras e cerca de sessenta alunos.

 Com esta sessão encerrámos a nossa participação mais directa na Semana Cultural.

 Continuaremos a tratar, até ao final de 2008, o tema do “Aquecimento Global”, estando prevista a apresentação a quatro turmas da escola, de “Uma Verdade Inconveniente” no dia 26 de Maio. Está ainda prevista  a atribuição do Prémio para o melhor cartaz realizado nas aulas de Área de Projecto e, eventualmente, a realização de um concurso a nível de escola.



Dalila M. e Maria F.



 


 


 


 



 


 


 


 


 


 


 



 


 


 


 


publicado por CREM Pereira Coutinho às 15:56

13
Abr 08
  

 No dia 8 de Abril, o Departamento de Ciências Fisico-Naturais abriu as portas do seu laboratório e convidou todas as turmas a viverem um pouco das suas experiências.  
 Os alunos mais velhos mostravam aos mais novos algumas das surpresas que se podem ter quando se mergulha no mundo da Ciência. Na mesma sala estavam expostos também muitos  trabalhos dos alunos. 
Fomos lá espreitar e aqui fica o nosso registo.

                                             






































































































































































































VIVA A

CIÊNCIA!










Notícia: 2008-04-11

Vinte e três minutos de investigação dentro do corpo humano

Champimóvel da Fundação Champalimaud promete levar ciência a 45 mil alunos do ensino básico

"Hoje são vocês os investigadores", explica o Champi, à entrada da cápsula futurista. A tarefa guiada pela mascote virtual dura 23 minutos e exige alguma atenção. Ao longo de uma viagem interactiva e tridimensional pelo corpo humano é preciso desenrolar cromossomas, matar vírus, conduzir a grande velocidade pelos canais sanguíneos e trabalhar numa fábrica de células. O Champimóvel, o simulador portátil da Fundação Champalimaud, foi apresentado ontem à tarde na primeira paragem junto à gare marítima de Alcântara, em Lisboa.


Maria F.
publicado por CREM Pereira Coutinho às 17:20

  De 7 a 11 de Abril  estiveram expostos trabalhos dos alunos do 2º e 3º ciclos, eleborados no âmbito das disciplinas de História e Geografia que pretendiam ilustrar  O Ambiente ao longo dos Tempos.



   Apareceram muitos trabalhos interessantes e variados, o que prova que os alunos se motivam facilmente quando se lhes pede que pesquisem temas do seu interesse e até dentro dos conteúdos das suas disciplinas. E, no CREM, eles encontram uma boa ajuda.
   As fotos que se seguem pretendem mostrar um pouco dessa exposição.













































 
Apareceu um trabalho muito engraçado que veio do Jardim de Infância da Malveira da Serra, dos alunos da Educadora Lourdes Amado e que não podemos deixar de realçar. É esta
horta deliciosa: 



 Continuando na linha do tempo... desde a Pré-História, passando pela  Idade Média até aos séculos XIX, XX e XXI.





 






















































































E, ao mesmo tempo, no CREM,  festejava-se o Ambiente com livros e trabalhos elaborados para o efeito nas Oficinas e nas Áreas de Projecto.
E as paredes mais uma vez se vestiram de cores vivas e alegres.















  E, agora, não se esqueçam, digam-nos o que acharam desta exposição!


Maria F.




publicado por CREM Pereira Coutinho às 16:18
sinto-me:

09
Abr 08

  
É verdade, esta é a porta de entrada para o Tesouro da Humanidade que foi criado na escola Pereira Coutinho, para a Semana Cultural, com temas  sobre o  Ambiente e no que diz respeito à Formação Cívica.
    Este espaço é uma criação de cientistas, artistas e humanistas... mas, na realidade, foi pensado em função do imaginário dos alunos. Estes estão a colaborar, deixando lá os seus objectos e as suas mensagens.
      Abrimos a porta da nave e... é uma surpresa!
   Parabéns aos autores deste espaço de ficção científica!
      Aconselho-vos a ir lá visitar!
















































Bela decoração!





















 
















Maria F.




publicado por CREM Pereira Coutinho às 21:49

03
Abr 08
   De acordo com o tema aglutinador do  Plano Anual de Actividades, ANO INTERNACIONAL DO PLANETA TERRA, irão decorrer na Escola, de 7 a 10 de Abril,  várias actividades culturais.
   O espaço CREM participa activamente nesta Semana Cultural que é organizada pela coordenadora do Departamento de História e Geografia, Professora Teresa Santos.


















Dia 7, 2ª feira:

Dramatização: “Festa em Casa da Natureza”- Prof. Teresa Santos

Canção em Inglês –“Fight Pollution- Prof. Dalila Marques

Turma:6º D

 

Convidados

Turma de 4º Ano da Escola EB1 de Birre nº 2

 

Apresentação do Powerpoint: “A Água – Profª Mª do Céu Deus

Dramatização – 6º C

6º I

 

Convidados

Turmas: 6º C e 6º I



Dia 8, 3ª feira

Dramatizações: “A Poluição” e “Alerta Vermelho… Planeta em Perigo!”

Turma: 5º H

 

Convidados

Turma: 5º D

Projecção do Projecto “Respira”

Profª Fátima Vasques

Convidados

5 G; 5H, 6 B; 6I

Dia 9, 4ª feira

Concerto do Ambiente

Turma: 5º A / 7º A / 7º B / 7º C

 

Convidados

Turma: 7º C

Dia 10, 5ª feira

Projecção do Projecto “Respira”

Profª Fátima Vasques

Convidados

5 A; 5C, 5D; 5E; 5F, 5I; 6 A; 6C

Apresentação do Powerpoint “Defesa e Protecção Activa do Meio Ambiente”

Apresentado por Beatriz Manteigas

Convidados

Jardins de Infância da Torre e Cobre


Nota: Na sala de professores, à entrada, está a planificação geral, com a divulgação das várias actividades levadas a efeito pelos diversos departamentos curriculares.




Passatempo: Abre o desenho abaixo, copia-o e imprime-o. Se unires os pontos, obterás a representação de um animal. Já sabes qual é? Podes colorir. Diverte-te com WWF e ajuda a salvar o Planeta.


BOA SEMANA CULTURAL!

Maria F.















 
publicado por CREM Pereira Coutinho às 23:35

Abril 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
16
17
18
19

21
24
25
26

27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO